27/06/2024 às 15h56min - Atualizada em 28/06/2024 às 20h00min

Conheça itens e ações que podem afetar o bem-estar dos pets

Médico-veterinário alerta para a venda de animais em vitrines e distribuição de produtos nocivos, como coleiras de choque e anticoncepcionais para fêmeas.

NATHALIA BEZERRA
Foto: Divulgação
Muitos itens e ações que podem afetar o bem-estar dos animais ainda se encontram em comercialização. Desde a venda de animais em vitrines, compra de pets em locais não especializados, até a aquisição de medicamentos falsificados e anticoncepcionais para fêmeas. Pedro Risolia, um dos médicos-veterinários à frente do comitê de ética da Petlove, elenca alguns cuidados importantes em relação aos produtos e práticas de mercado. A marca também está, em parceria com o Instituto Caramelo, a frente do movimento "Petlove não vende", que busca democratizar informações essenciais para os tutores e visa acabar com todo tipo de comercialização prejudicial ao bem-estar dos pets - que são parte da família.Conheça mais sobre essas práticas e seus riscos:

Medicamentos falsificados
É essencial buscar fontes especializadas para a compra de medicamentos para os pets. Os tutores devem sempre desconfiar de preços muito abaixo do mercado e de procedência duvidosa. Ao adquirir um remédio na internet, é primordial buscar por fornecedores e distribuidores certificados. Formulações inadequadas e/ou adulteradas podem levar os animais de estimação a quadros graves de intoxicação e até mesmo à morte.

Adoção de animais
O Brasil conta com mais de 30 milhões de pets abandonados em busca de um lar. Por isso, adotar um animal de estimação para fazer parte da família é sempre uma possibilidade a ser levada em consideração. É importante que os futuros tutores sempre busquem por organizações comprometidas com o bem-estar pet, como é o caso do Instituto Caramelo.
Para quem deseja ter um cão ou gato de raça específica, é primordial que o processo seja realizado em canis ou com criadores confiáveis e que garantam a segurança e o cuidado para com os animais. Pesquisas profundas são necessárias antes de dar esse importante passo. Entre os passos mais importantes estão: visitas presenciais ao local, avaliação das condições de higiene e das instalações em geral e um olhar especial para os reprodutores.

Anticoncepcionais para fêmeas
Anticoncepcionais para fêmeas devem ser evitados, a não ser em casos específicos e acompanhados por médicos-veterinários especialistas.  O uso indiscriminado desse tipo de medicamento - principalmente em casos de cadelas e gatas que não precisam deles - podem causar diversas doenças em decorrência de alterações hormonais, como tumores mamários. A melhor alternativa - e mais indicada - é sempre a castração, já que elimina o risco de gestações indesejadas e de quadros graves de saúde. 

Coleiras de choque / Coleiras anti-latidos
Conhecidas por usar choques, as coleiras anti-latidos são dispositivos que causam dor, medo e estresse nos cães. Ao contrário do que possa parecer, elas não ajudam a diminuir os latidos, mas sim agravar problemas comportamentais, aumentando a reatividade do pet. Em substituição a esse item, os tutores devem optar por coleiras peitorais, petiscos e treino com reforço positivo. “Isso ajuda a promover uma relação de confiança e bem-estar.

Enforcador de metal
Os enforcadores de metais pressionam o pescoço dos cães, podendo interromper o fluxo sanguíneo, aumentar a pressão intraocular, deslocar vértebras cervicais e colapsar a traquéia. Além disso, o uso desses artigos pode aumentar a reatividade do cão a pessoas e outros animais. Assim como no caso das coleiras anti-latidos, o ideal é substituir esse tipo de item por coleiras peitorais, além de focar em treinos com reforço positivo.

Coleiras com guizo
No caso dos gatos, coleiras com guizo também são inadequadas. O barulho constante interfere na audição dos felinos e pode causar estresse e perda auditiva. Uma alternativa mais respeitosa é ensinar o gato a responder ao chamado do dono com recompensas, como petiscos.

Spray sonoro
Esse método é usado para causar medo nos animais, o que pode abalar a relação de confiança dos pets com os tutores, especialmente no caso dos cães. Além disso, esse tipo de método aversivo não soluciona o problema dos comportamentos indesejados e que o ideal é optar pela educação positiva. Reforço de comportamento baseados em recompensas são mais eficazes e saudáveis. Para isso, é possível oferecer brinquedos recheáveis, mordedores, pelúcias e tabuleiros, de modo que o pet execute comportamentos naturais e minimize os inapropriados.

Rações veganas para gatos
Atualmente, as rações veganas disponíveis no mercado nacional não atende a totalidade das necessidades nutricionais específicas dos felinos. Optar por esse tipo de alimento pode prejudicar sua saúde, levando a problemas de saúde. O mais adequado é oferecer rações sem corantes, transgênicos e aditivos, mas que possuam as proteínas necessárias para os felinos.

Osso de couro em nó
Outro item comum e que não é indicado aos cães é o osso de couro em nó, frequentemente usado como mordedor. Esse item possui substâncias químicas e pode causar engasgo ou sufocamento. Mordedores naturais, como cascos e chifres bovinos, e brinquedos próprios, são opções mais seguras, desde que usados sob supervisão.

Gaiolas
Para aves, o uso de gaiolas deve ser restrito a casos específicos, como resgates ou contenção de espaço necessárias em tratamentos. A criação de pássaros em cativeiro limita seus movimentos e fere o instinto de liberdade.

Protetor de unha antirriscos
Cortadores de unhas próprios são as melhores alternativas já que, graças ao formato anatômico e corte específico, ajudam a manter a higiene do pet e evitar machucados, além de  permitir  que os felinos brinquem com os arranhadores e afiem as unhas de maneira natural. É fundamental permitir que os gatos expressem seus instintos, além de se exercitarem.
Saiba mais em (www.petlovenaovende.com)


Sobre a Petlove&Co
 
Fundada em 1999, a Petlove iniciou suas atividades como um e-commerce, pioneiro no setor no país, e hoje se consolida como o primeiro ecossistema pet no Brasil. Atualmente, a companhia engloba outras frentes de negócios, como saúde, hospedagem e serviços, sempre focada em oferecer soluções completas para tutores e pets, seja no mundo virtual ou presencial. Com as frentes de planos de saúde e os serviços da DogHero, a companhia conecta a jornada do cliente, que pode resolver todas as questões relativas ao pet em um só lugar. A empresa também tem forte atuação no segmento B2B e busca a valorização dos profissionais do setor, com soluções voltadas a médicos veterinários e petshops, empreendedores e pet sitters, fortalecendo todo o ecossistema pet por meio das plataformas de conteúdos técnicos e auxílio ao médico veterinário e de gestão de negócios com as marcas Vet Smart e Vetus, respectivamente.

 

Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
Nathalia Cristina Teixeira Bezerra
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpet.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp